Skip to content

O estilo de Justin Hawkins

setembro 13, 2009
 Vou falar novamente do Justin Hawkins porque gosto dele. Gosto porque me identifico. Afinal ele é como eu, um cara feio que faz sucesso pelo talento e estilo. Eu acredito muito na teoria da compensação de Freud. O cara é feio (ou acredita ser feio) e faz tudo para ser inteligente e chamar atenção de outro jeito. Ou seja, por isso me identifiquei com Justin, porque são artifícios que eu uso até hoje. E dá certo. E o Justin também acredita que dá certo. Na adolescência, ele amava o hard rock porque o fato de os meninos se vestirem como meninas era um chamariz e tanto para atrair as mesmas pelo estilo. Quando adolescente, Justin não era muito aplicado na escola e também não era popular com as meninas. Nessa época Justin estava totalmente dedicado à música e começava a usar calças apertadas. Isso quando ele tinha 17 anos.
Justin começou a usar macacões (catsuits) por causa de sua mãe. Ela sempre falava do tempo em que ela saía para shows em Londres. Certa vez foi ver o Brian Jones e o Jimi Hendrix, Jones estava com um macacão rosa. Justin explica que em sua cabeça, um macacão sempre esteve associado à extravagância e ao rock. Aí Justin decidiu usar um (na verdade, vários).
 Um dos macacões do Justin no Darkness
 Justin fala que não tem idéia de quantas tatuagens possui. Tem tatuado no braço o famigerado teclado da Yamaha, DX7 o mais popular em todas as bandas dos anos 80. O DX7 esteve presente em albúns de artistas como Roxy Music e David Bowie. Esse teclado é capaz de reproduzir os timbres dos anos 80.
A tattoo do braço direito de Justin é uma referência ao teclado DX7
 
 O rapaz cobriu sua antiga tatuagem floral que ficava em parte do braço e peito com uma manga colorida que cobre parte do peito e todo braço direito, terminando com DX7.
No braço esquerdo ele tem seu nome, Justin com o raio no meio. Recentemente ele também cobriu essa tattoo de azul e alguns detalhes de laranja.
A tattoo que mais doeu, foi a mais recente na perna.
 
 Já a famosa tattoo de flames da pélvis do rapaz (a que eu acho mais criativa) continua intacta. Mal sabemos de onde essas chamas saem, convenhamos que é preciso coragem para tatuar um lugar como esse com chamas (certamente vocês pensaram o que eu pensei).
 Eu gostava mais do estilo do Justin na época do Darkness. Nos shows ele aparecia com macacões ícones do glam/ hard dos anos 70 e 80.
 
Justin com roupas usadas em shows, ainda no Darkness
 Justin e o irmão, Dan
 E no dia-a-dia seu estilo era o estilo das bandas dos anos 70/80 de hard/heavy como Thin Lizzy. Seu irmão Dan Hawkins mantém esse estilo ainda hoje no Stone Gods. Cabelo armado, calças boca-de-sino, camisetas de banda ou old school, bonés, echarpes ou cachecol e o toque glam que vai desde algum tecido néon até toques esportivos como shorts e tênis old school. Botas de cowboy e sapatos sociais também entram no estilo. Justin era bem mais magro na época do Darkness.
 Depois engordou muito e hoje pelo visto, anda fazendo musculação. Diz que suas mudanças externas são parte de sua recuperação. Justin abandonou não só as as drogas ilícitas, hoje ele não bebe e não fuma.
Justin diz que inicialmente com a nova banda, Hot Leg, tinha uma regra que todos os membros da banda deviam usar uma faixa de cabeça – como uma homenagem ao Björn Borg e o final dos anos 70, grandes nomes do tênis.
 
Björn Borg
 Mas começaram a relaxar a regra, principalmente porque recentemente ele arranjou um corte de cabelo melhor. Não só o corte de cabelo que novamente lembra Diamond Dave e os ícones hard rock/heavy metal como W.A.S.P. e Cinderella… Tingiu os fios castanhos de loiro e ficou bem parecido com Michael Monroe do Hanoi Rocks e Diamond (novamente) Dave.
Inspirações de Hawkins, respectivamente: Ícones do hard rock como Diamond Dave (David Lee Roth),  Michael Monroe e Cinderella
A mudança de estilo de Justin, cabelos mais claros e toque de sleaze rock do Crashdiet e Vains of Jenna.
 
Crashdiet e Vains of Jenna
Nesse novo estilo Justin usa calças com diversas estampas de animais, headbands, lenços e bandanas, munhequeiras, camisetas old school e os sneakers, tudo isso muito colorido. Ou seja, é o bom e velho hard rock com uma pegada sleaze glam, mais modernizada.
Justin na sua nova banda, Hot Leg
No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Espaços Narrativos

memórias absorvidas por espaços, propagadas por pessoas

jimgoforthhorrorauthor

Horror author. Extreme metal fanatic. Husband. Father.

Não Sou Exposição

Questionamentos sobre imagem corporal, amor próprio, saúde e comida.

vamosparalondres

um autoguia para a minha viagem à capital britânica

A Virgem Boêmia

Entre palavras e cervejas

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

REQUADRO

Just another WordPress.com site

Supernova de Estilos

Um espaço para arte, moda, música, textos e tudo o que for interessante e novo (ou vintage)!

blog da Revista Espaço Acadêmico

Revista Espaço Acadêmico, ISSN 1519-6186 – ANO XVI - Mensal. Conselho Editorial: Ana Patrícia Pires Nalesso, Angelo Priori, Antonio Mendes da Silva Filho, Antonio Ozaí da Silva, Eva Paulino Bueno, Henrique Rattner (in memoriam), João dos Santos Filho, Luiz Alberto Vianna Moniz Bandeira, Raymundo de Lima, Renato Nunes Bittencourt, Ricardo Albuquerque, Rosângela Rosa Praxedes e Walter Praxedes. Editor: Antonio Ozaí da Silva

palavrasecoisas.wordpress.com/

Comunicação, Subculturas. Redes Sociais. Música Digital. Sci-fi

Felinne Criações

Bastidores dos trabalhos, projetos, e vida Felinne ;)

Drunkwookieblog

Porque esperar pelo G.R.R Martin não dá

Lembrar ou Esquecer?

Depois de um tempo...

A CASA DE VIDRO.COM

Portal Cultural & Livraria Virtual. Plugando consciências no amplificador! Um projeto de Eduardo Carli de Moraes.

%d blogueiros gostam disto: