Skip to content

Karac Pendragon Plant

fevereiro 11, 2010

Pendragon (Filho de Dragão) era o título dado ao Rei com maior influência e poder na Britânia. Uther Pendragon era pai do rei Arthur de Avalon. O nome Pendragon possui significados diversos como “Dragão Vermelho” ou “Cabeça de Dragão” e indica soberania sobre todos os reinos. Esse foi o nome escolhido para o filho de Robert Plant, Karac Pendragon Plant. As crianças do design da capa de Houses of the Holy, sempre fez lembrar Karac e Carmen, os filhos de Plant. Mais tarde (1977), viria Logan e por último (1991) Jesse Lee – o último filho do segundo casamento de Plant. Karac faleceu com cinco ou seis anos, quando Robert Plant estava em turnê. As cenas de Plant brincando com seus filhos remeteu imediatamente ao disco “Houses of the Holy” (1973), inspirado em Arthur C. Clarke. No final do livro Childhood’s End aparecem muitas crianças nuas com aparência fisicamente aparente aos humanos, porém com formas básicas. Os modelos da capa eram irmãos, e apesar da semelhança com Robert Plant não eram filhos dele. Porém ao observar algumas das fotos da família de Plant, incluindo Karac notamos semelhanças..

Karac Pendragon foi o primeiro filho de Maureen e Robert Plant. Ele nasceu em 22 de abril de 1971. Certa vez em uma entrevista perguntaram a Robert se não era pouco prático levar sua família na estrada. Robert Plant respondeu: – Você vê, meu menino começou a andar, e eu não o vi de pé ainda. Essas são as coisas que fazem você se aborrecer sobre estar na estrada. O simples fato de você perder ocasiões fantásticas como essa.

Em uma entrevista à revista People (20/12/1976) Robert fala sobre seu filho: “Nós o chamamos Baby Austin depois que Bionic Man. Ele não conhece o medo, não tem noção de perigo. Tenho inveja dele.” O nome Pendragon parece bem apropriado ao ler essa observação de Plant.


Karac Plant estava com seis anos quando ele ficou doente com uma infecção viral não identificada. Em 26 de julho de 1977, o Led Zeppelin viajou a Nova Orleans para o próximo show. Quando eles estavam chegando no hotel, Robert Plant recebeu um telefonema de sua esposa: Karac estava muito doente. Duas horas depois, Maureen havia ligado de volta: seu filho estava morto.

Plant, Bonham e Cole pegaram o próximo vôo de volta a Inglaterra e a turnê foi imediatamente cancelada. Bonham e Cole foram os únicos membros do círculo íntimo do Led Zeppelin a assistir ao funeral de Karac em Birmingham.

A morte de Karac mais tarde inspirou a escrever a canção “All My Love”, em homenagem, ao filho apresentada na final Led Zeppelin in estúdio, LP, 1979’s ‘In Through the Out Door’.

No vídeo “The Song Remains The Same” Robert Plant foi filmado em momentos relaxantes em sua fazenda no País Gales com sua esposa Maureen e as crianças Karac e Carmen. As seqüências foram filmadas em 1973 e o filme foi lançado três anos depois, em 1976.

A capa de Houses of the Holy (1973)

Plant com a família em sua fazenda em 1973.

O menino no colo de Plant é Karac.

A menina é Carmen Plant.

Fotos e trechos das entrevistas na página http://familyzepp.piczo.com/?g=28404192&cr=3

Anúncios
16 Comentários leave one →
  1. Ivandro permalink
    maio 9, 2012 3:36 pm

    Adoro o Led e suas músicas inesquecíveis e super avançadas e virtuosas pela época que foram concebidas,mas esta do filho do Plant eu não conhecia,parabéns e obrigado pela informação,é sempre bom sabermos dos nossos ídolos,e também adoro all my love,abraços do fâ do Led Ivandro…

    • maio 27, 2012 8:24 pm

      Obrigada. Também tenho uma grande admiração pelo talento do Led, é uma das minhas bandas preferidas. E tenho uma enorme admiração por Robert Plant, gosto muito dele. Eu também gosto quando descubro coisas novas sobre meus ídolos. E gosto de compartilhar aqui. Bom ter te ajudado a descobrir mais sobre Plant. Beijos!

  2. Afonso permalink
    julho 4, 2012 3:17 am

    Sempre tive a sensação ao ouvir a música All My Love de algo muito triste, uma grande solidão. Não é viajem mas depois de descobrir o caso do filho de Plant, o lance do pessoal do Led não aparecer no funeral fiquei com a impressão mais forte ainda de que a música remete a triste solidão que fica quando alguém muito querido se vai.
    Viva o Led e paz a Plant.
    Abraços

    • julho 16, 2012 10:40 pm

      Realmente Afonso. Solidão é palavra que define bem All My love. Há acontecimentos que marcam a definição que temos das músicas. E paz a Plant. Beijos!

  3. Rodrigo Magrão permalink
    agosto 30, 2012 6:23 pm

    Mr. Plant, grande guerreiro vicking! Essa da música All My Love me deixou esquesito…. sempre gostei dessa música. Mas realmente ele soa com um certo ar de solidão e nostalgia… Salve Plant: o Sr. garganta de aço.

    • setembro 23, 2012 9:53 am

      Rodrigo, quando Plant veio com sua música, a nossa vida mudou. Nunca vi vocalista para expressar tanto da alma humana quanto Plant.

  4. Eduardo permalink
    outubro 13, 2012 9:29 am

    Acho que vão concordar comigo… Não só Plant dava expressão ao Led, o conjunto da ópera era fantástico.
    Keith Moon (Baterista do The Who) foi quem melhor definiu o Led Zeppelin na minha opinião “Pesado, porém vôa.” Pura verdade!!!
    John Bonham era preciso, pratadas certeiras e solava batera magnificamente; Jimmy Page, além de criar riffs fantásticos, seus solos faziam o Zeppelin de chumbo decolar; John Paul Jones conduzia a banda sem firula, mantinha o Zeppelin na órbita, baixista de primeira; Robert Plant com sua voz aguda deixava a música da banda ainda mais refinada, sua garganta era o quarto instumento do Led. Tenho pra mim que todos estavam no lugar certo, na hora certa. O universo conspirou a favor na formação dessa trupe perfeita.
    Ian Anderson (Jethro Tull) confessou, mesmo depois de ter tido desentendimentos com Plant e Bonham numa turnê que fizeram juntos nos EUA, que sonhava em ter uma letra sua tocada com a pegada do Led Zeppelin e cantada com a voz melódica de Robert Plant.
    Plant interpretou mal a declaração de Ian Anderson, julgou como crítica às letras do Led Zeppelin. Pura paranóia de Plant, pois receber uma declaração desta, de um músico do calibre de Anderson não é para qualquer um!
    Enfim, Led Zeppelin é ímpar! Estarei presente no show solo do Plant dia 27/10/2012 em Curitiba… É apertar os cintos e vamos decolar!!!

    • outubro 19, 2012 8:38 pm

      Eduardo, sem mais complementações, concordo contigo. A definição de Keith Moon é excelente. Led Zeppelin era fantástico, os integrantes, as letras maravilhosas e arrojadas. Pode parecer um lugar comum falar isso, mas a banda parece mitológica não?! De tão fantástica que era. Fora que eu acho o Robert Plant uma das pessoas mais interessantes do rock, seu espírito, sua presença, seu conhecimento. E claro, os demais integrantes também eram excelentes, Jimmy Page , John Paul Jones, John Bonham…não existem mais músicos como esses.

    • Edu permalink
      maio 15, 2015 7:17 pm

      Isso é um fato incontestável, nem é preciso argumentar…
      O que mais me impressiona no LZ é o fato de todos os integrantes terem enorme talento e personalidade musical e, mesmo assim, conseguirem harmonizar talentos tão expressivos numa banda.
      Bonhan era um gênio, não havia nada que ele não pudesse fazer. Se eu fosse eleger o mais insubstituível no LED, musicalmente falando, esse cara seria o Bonhan.
      Page, era guitarrista de estúdio, conheceu de perto e ajudou a produzir o que de melhor se fazia na Inglaterra nos anos 60, era o gênio por traz das gravações, mixagens, as melhores ideias. Ele era o líder.
      Plant é um leão, você usou uma frase que eu também uso: ele usava a voz como um instrumento. Não sobrava, não faltava, completava e aumentava a genialidade do conjunto, além da personalidade forte, segurança e carisma no palco (e enorme paciência para tolerar as digressões e viajadas do Page.
      E, finalmente, Jones era outro talento musical, que conhecia tudo de música, experiência de estúdio, teoria musical, etc, além de compor. O riff de Black Dog é dele. Veja o baixo de “the lemon song”. Um absurdo!

  5. outubro 31, 2012 4:38 pm

    Sabia dessa história do do Karac,mas n detalhada assim. Led zeppelin é minha banda favorita desde os 12 anos,tive o maior prazer da minha vida em conhece-lo quando passou 4 dias aqui em Brasília para seu show. Eu ja era apaixonada por ele agora o bixo pegou to super apaixonada rs. Queremos mais posts legais assim ^^ vida longa ao Plant.

    • novembro 24, 2012 2:23 pm

      Ninna, eu amo Led Zeppelin, é uma das minhas bandas de referência. Você tem bom gosto desde cedo, hem?! Que legal que chegou a conhecer o Robert Plant, ele é uma lenda viva. Muitos gostariam de estar no seu lugar, inclusive eu. Pode deixar que postarei mais sobre Plant e Zeppelin, adoro falar sobre eles!

  6. outubro 31, 2012 4:40 pm

    Ps: karac faleceu no dia do meu aniversario ='[

  7. dezembro 24, 2012 10:37 pm

    Um dos maaiores Orgulhos que tenho, é meu nome.
    Meu pai realmente fes uma boa escolha.
    Kárac Luã em homenagem ao Karac Plant.

    • fevereiro 24, 2013 1:59 pm

      Karac é um belo nome, parabéns Karac pelo seu nome e parabéns para o seu pai que tem bom gosto. 🙂

      • julho 23, 2013 8:53 pm

        muuito obrigado Helena, alias, é o nome de minha mãe. tambem gosto de Helena

      • julho 31, 2013 7:57 pm

        Coincidência Karac, meu nome ser o mesmo da sua mãe. Obrigada, também gosto do meu nome. Abraços e volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Espaços Narrativos

memórias absorvidas por espaços, propagadas por pessoas

jimgoforthhorrorauthor

Horror author. Extreme metal fanatic. Husband. Father.

Não Sou Exposição

Questionamentos sobre imagem corporal, amor próprio, saúde e comida.

vamosparalondres

um autoguia para a minha viagem à capital britânica

A Virgem Boêmia

Entre palavras e cervejas

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

REQUADRO

Just another WordPress.com site

Supernova de Estilos

Um espaço para arte, moda, música, textos e tudo o que for interessante e novo (ou vintage)!

blog da Revista Espaço Acadêmico

Revista Espaço Acadêmico, ISSN 1519-6186 – ANO XVII - Mensal. Conselho Editorial: Ana Patrícia Pires Nalesso, Angelo Priori, Antonio Ozaí da Silva, Carlos Serra, Eliel Machado, Elisa Zwick, Eva Paulino Bueno, Henrique Rattner (in memoriam), Josimar Priori, Luiz Alberto Vianna Moniz Bandeira, Marcelo Gruman, Paulo Cunha, Raymundo de Lima, Renato Nunes Bittencourt, Roberto Barbato Jr., Rogério Cunha de Castro, Rosângela Praxedes e Walter Praxedes. Editor: Antonio Ozaí da Silva

palavrasecoisas.wordpress.com/

Comunicação, Subculturas. Redes Sociais. Música Digital. Sci-fi

Felinne Criações

Bastidores dos trabalhos, projetos, e vida Felinne ;)

Drunkwookieblog

Porque esperar pelo G.R.R Martin não dá

Lembrar ou Esquecer?

Depois de um tempo...

A CASA DE VIDRO.COM

Portal Cultural & Livraria Virtual. Plugando consciências no amplificador! Um projeto de Eduardo Carli de Moraes.

%d blogueiros gostam disto: