Skip to content

I am Ozzy

agosto 20, 2010

Depois de décadas sem postar por causa do início conturbado das aulas (para quem não sabe sou a professora mais estranha e deslocada da face da terra, tanto é que depois de sete anos dando aulas tem gente que não sabe que sou professora). Enfim, há duas semanas fui na Saraiva para realizar meu sonho de consumo: o livro “Eu sou Ozzy”, biografia do Ozzy Osbourne. Nem preciso dizer que “devorei” o livro em uma semana:

E descobri meu próximo sonho de consumo:  “Heavy Metal: A história completa” de Ian Christe.  O livro do Ozzy me fez rir e chorar ao mesmo tempo, o cara é uma figuraça acima de tudo e muito engraçado.  Ele fala sobre a avó dele por parte de mãe, declarando que sua família sempre foi meio louca. Ela tinha uma tattoo A.U. no braço, as iniciais de Arthur Unitt, seu avô:

” Penso nela toda vez que vejo uma dessas garotas lindas na TV com tinta por todo o corpo, parece legal quando você não têm compromissos, mas, pode acreditar, não é nem um pouco divertido quando se é avó e está tentando fazer seu neto dormir com uma adaga e duas cobras no bíceps. ” ( “Eu sou Ozzy”, pág. 26)


Com a mãe e o pai em 1970.


Ozzy tem dislexia, uma dificuldade na área da escrita, soletração  e leitura. Portanto a escola para ele foi um lugar difícil, porque nessa época os estudos sobre alunos com dificuldades ainda não existia e tudo era resolvido com palmatória. Ozzy é epelido que deram na escola.  Ozzy ou John Osbourne, era muito pobre e usava para ir para a escola as mesmas botas do inverno. Ozzy era o garota engraçado, louco e sem noção que morria de medo das brigas da escola, porque sabia que não era bom em brigas.  Os moleques puxavam as calças dele na volta para casa, só para zoar. Enquanto isso, o bonitão da escola era Tonny Iommi, o cara que estava um ano na frente de Ozzy e tocava guitarra. E nunca bateu em Ozzy, apesar de ser bom de briga. Certa vez os meninos puderam levar seus presentes de Natal para a escola e Ozzy diz que Tony levou uma guitarra vermelha que era a mais bonita que ele já viu na vida.

Geezer Butler, Ozzy, Bill Ward e Tony Iommi.



Pós- escola, Ozzy tentou ser encanador, analista de buzinas e trabalhou em um matadouro (isso é a cara dele). E o emprego que ele mais gostou foi o último. Ozzy também foi preso por um pouco mais de um mês por roubar roupas em uma loja de bebês, que ele não pôde vender no pub como desejava.  Seu pai não pagou a fiança porque disse que ele mesmo nunca agiu desonestamente. O filho deveria aprender a lição! Ozzy foi zoado pelos cabelos compridos, que já usava na época do matadouro. Ele adquiriu sua primeiras tatuagens nesse emprego, se não podia ser um rockstar, pelo menos o visual poderia ter. Suas outras tatuagens adquiriu na cadeia, inclusive duas carinhas sorridentes, nos joelhos para alegrá-lo toda vez que fosse ao banheiro.  Saiu da cadeia e pôs um anúncio no jornal:  “OZZY ZIG PRECISA DE UMA BANDA”. Geezer bateu na sua porta, um cara estranho de voz cavernosa e calça de veludo.


Geezer Butler

Ozzy detestava músicas dos hippies, gostava de Beatles.  Enquanto Geezer usava calças verde limão e uma plataforma prateada, Ozzy indagava porque ele tinha que usar isso?!  Veja esse trecho do livro:

“Eu não era exatamente um cara que se vestia de forma conservadora, entendam. Andava com uma velha camiseta de pijama com uma torneira presa a uma corrente como colar. A verdade é que não era fácil tentar se parecer com uma estrela do rock sem a porra do dinheiro. Você precisa usar a imaginação. E eu nunca usava sapatos- nem mesmo no inverno. As pessoas me perguntavam onde eu “me inspirava para a moda” e eu respondia: “Minha inspiração é a completa falta de grana, nem mesmo tomo banho”.  (“Eu sou Ozzy, pág. 64)

Nessa época Ozzy conheceu Robert Plant que também era apenas um garoto como ele. Já era um ótimo vocalista. Mais tarde  no “Atrocity Cottage” (nome “carinhoso”  dado ao rancho de Ozzy na Inglaterra, por causa das loucuras que Ozzy cometia, sempre “alto” por causa de drogas),  Plant “limpou” Ozzy em uma aposta de carteado.  O cara levou uma alta grana do Ozzy.

Certa vez Tonny Iommi bate na porta de Ozzy, que tinha investido em material musical com ajuda do pai.  Porque Ozzy estava realmente interessado em investir na música, não queria ser operário. Com Geezer e Iommi, que disse que conhecia o retardado do Ozzy da escola onde estudaram. Iommi só não foi embora porque Ozzy tinha equipamento musical e Geezer insistiu. E aí montaram o “Polka Tulk Blues Band”, em homenagem ao talco que a mãe de Ozzy usava para ficar com axilas cheirosas. E Ozzy teve a idéia no vaso sanitário, quando fazia o nº2… o  que deixou Iommi irado.  Pouco tempo depois mudaram de nome novamente para “Earth” e abriram um festival para o Jethro Tull. Nessa época Ozzy, Iommi e geezer ficavam esperando nas portas dos festivais para que alguma banda faltasse e eles pudessem tocar. Dessa vez foi o Tull que faltou e depois de algumas latas na cabeça, o público gostou da banda e o Jethro Tull que chegou atrasado, também. Pouco depois, Iommi foi convidado para tocar no lugar do guitarrista do Jethro Tull que havia saído. Não gostou da experiência e voltou a tocar com os meninos da escola. Tinham apenas 20 anos e inspirados pelo cinema de terror e o prazer que as pessoas sentem ao sentir medo, fundaram o Black Sabbath.  A partir daí a história fica louca, Ozzy usa drogas de uma maneira insana, sendo expulso do Black Sabbath. O que ele acha injustiça, pois todos usavam. Mas Ozzy era o mais louco, as drogas o perturbavam a ponto de fazer coisas nem um pouco saudáveis. Em crises de abstinência, urinava e defecava nas calças, além de ser um perigo para quem o cercava.  Sua primeira mulher, Thelma, separou-se dele por causa disso.


Ozzy e seus filhos com Thelma, Louis e Jessica em 1979.


E ele quase matou Sharon,  sua segunda esposa:  tentou esganá-la e não se lembrava.  Aliás Sharon foi a única mulher capaz de dominar Ozzy. Ela escondia as roupas de Ozzy, porque sabia que se ele achasse as roupas em suas turnês iria sair para rua e fazer algo que não deveria. Certa vez ele saiu com o vestido verde de Sharon… e foi preso. Não por causa do vestido, mas por causa de outra insanidade.

Sharon e Ozzy


Ozzy e Sharon com os filhos: Kelly, Jack e Aimee nos anos 80.

Outra coisa que preocupava Ozzy era os loucos satanistas.  Ele diz que nunca foi um e que de fato, ele e os caras do Black Sabbath não tinham nem idéia do que era isso. Muitas vezes teve medo de morrer por causa de um desses fanáticos.  O Black Sabbath só queria assustar e chocar as pessoas, além de fazer um som pesado de verdade.

E Ozzy também acha uma injustiça manterem o nome Black Sabbath, pois a formação original havia naufragado. Também é comovente quando Ozzy fala Randy Rhoads, o guitarrista que o acom panhou em carreira solo. Ozzy comenta que qualquer um pode tocar “Iron Man” , ele não sabe porque as pessoas gostam tanto da música. Randy sabia tocar qualquer coisa e muito bem. Era um virtuosi, tinha estudado música a vida toda.  Randy morreu em um acidente estranho de avião durante uma turnê nos Estados Unidos,  junto com a assistente Rachel Youngblood.  Esse acidente, em que o avião fez manobras por cima do ônibus da equipe de Ozzy,  também quase matou Ozzy, Sharon e os assistentes que estavam dentro do ônibus.  Até o avião cair em cima de uma casa. Um pouco antes do acidente, Randy di sse que ia sair da banda para estudar, fazer faculdade, passar mais tempo com a mãe e recomendou que Ozzy parasse com as drogas. Sem dúvida uma das tragédias que mais comoveu e mudou as ações de Ozzy.


A casa em que o avião caiu e Randy e Rachel em 1982.


Turnê de “Diary of a madman”: Rudy Sarzo, Randy Rhoads, Tommy Aldridge e Ozzy.

Randy e Ozzy.

Outro episódio foi o câncer de Sharon, na época em que “The Osbournes” passava na MTV. Sharon foi e ainda é a grande empresária de Ozzy. Nos anos 80, tingiram os cabelos de loiro (era preciso ser luminoso, como Ozzy diz).  E era preciso competir com os loiros do hard rock e metal…  Eu adoro essa versão do Ozzy loiro, combina muito com ele.


O que eu contei sobre o livro é só uma amostra da vida de Ozzy.  Quem gosta de heavy metal e Black Sabbath ou realmente tem admiração por Ozzy deve ler esse livro agora!

Anúncios
9 Comentários leave one →
  1. agosto 20, 2010 2:52 pm

    Eu adoro o Ozzy, é uma figura, cresci ouvindo a carreira solo dele. Com todos as sequelas de drogas que ele tem hoje ele até fica engraçado.
    Mas sei lá… quando vejo ele ao vivo, acho deprimente. Ele no palco com aquela voz sempre no mesmo tom e trejeitos enlouquecidos. Nem consigo mais ouvir os últimos cds dele. Ele precisa fazer isso mesmo ainda hoje? Ele é uma lenda! Até que ponto a Sharon pede a ele fazer shows pra gastar a grana dele? Ele certamente ama o rock n roll e não vai desistir nunca de cantar, mas tadinho, já tá velhinho, tinha que aproveitar a fama em paz!
    Eu quero ler esse livro também!
    *como sou chata né* =P
    bjs!

  2. agosto 20, 2010 3:16 pm

    Sana, você não é nem um pouco chata! Costuma criticar porque é inteligente e conhece muita coisa e eu admiro isso. Eu também acho um pouco deprimente ele continuar a carreira, assim como outras lendas do rock como Rolling Stones (que anunciaram aposentadoria depois dessa última turnê). E também acho que Ozzy e companhia já fizeram muito pelo rock e está na hora de descansar. Fica mais honroso assim, desfrutar verdadeiramente da vida, depois de suas várias “quase mortes”. Ozzy dedica o livro a todos os fãs, como eu e você, que fizeram a vida dele ser maravilhosa. Carreira muito longa cheira a busca desenfreada por dinheiro, o que acho que pode não ser o caso de todo mundo (e acho que não é o caso de Ozzy), mas o público entende assim. Leia o livro sim, é muito bom. Beijos! 😀

  3. agosto 21, 2010 4:12 am

    Oi Helena!
    Meu irmão está lendo o livro, e eu já estou na fila pra ler quando ele acabar hehe… Ele me contou várias histórias hilárias que tem no livro.
    Concordo com vc e com a Sana, o Ozzy já fez tudo pelo rock que podia fazer, é uma lenda, tá na hora dele aproveitar a fama em paz e aposentar, e viver sossegado hehe…
    Beijos

  4. setembro 3, 2010 12:18 am

    Olá! Passando aqui para dizer que adorei o blog, e esse post sobre o Ozzy então…*–* Parabéns! Beijos.

  5. setembro 14, 2010 12:24 pm

    Oi, saudações rockeiras

    Estou lendo o livro neste momento, e nunca rí tanto lendo um livro como esse.Ozzy ficou agora muito mais querido do que já era, pois alem de ser um Deus do rock, ele é um ser humano.
    Estou na parte onde ele foi para a reabilitação e a Sharon está tentando controlá-lo.
    Um livro que todo rockeiro deveria ler para ver que Ozzy é o mais louco rock star, e mesmo assim consegue estar aqui entre nos vivo e trabalhando.

  6. setembro 14, 2010 4:53 pm

    Oi tem selinho pra você no meu blog:

    http://culturefreake.blogspot.com/2010/09/selo.html

    Beijos

  7. setembro 14, 2010 6:07 pm

    Tem mais um selo pra você lá hehe

    http://culturefreake.blogspot.com/2010/09/selo-3.html

    Beijos

  8. giovani schubert permalink
    abril 29, 2012 12:26 am

    mtt bom o blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Espaços Narrativos

memórias absorvidas por espaços, propagadas por pessoas

jimgoforthhorrorauthor

Horror author. Extreme metal fanatic. Husband. Father.

Não Sou Exposição

Questionamentos sobre imagem corporal, amor próprio, saúde e comida.

vamosparalondres

um autoguia para a minha viagem à capital britânica

A Virgem Boêmia

Entre palavras e cervejas

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

REQUADRO

Just another WordPress.com site

Supernova de Estilos

Um espaço para arte, moda, música, textos e tudo o que for interessante e novo (ou vintage)!

blog da Revista Espaço Acadêmico

Revista Espaço Acadêmico, ISSN 1519-6186 – ANO XVII - Mensal. Conselho Editorial: Ana Patrícia Pires Nalesso, Angelo Priori, Antonio Ozaí da Silva, Carlos Serra, Eliel Machado, Elisa Zwick, Eva Paulino Bueno, Henrique Rattner (in memoriam), Josimar Priori, Luiz Alberto Vianna Moniz Bandeira, Marcelo Gruman, Paulo Cunha, Raymundo de Lima, Renato Nunes Bittencourt, Roberto Barbato Jr., Rogério Cunha de Castro, Rosângela Praxedes e Walter Praxedes. Editor: Antonio Ozaí da Silva

palavrasecoisas.wordpress.com/

Comunicação, Subculturas. Redes Sociais. Música Digital. Sci-fi

Felinne Criações

Bastidores dos trabalhos, projetos, e vida Felinne ;)

Drunkwookieblog

Porque esperar pelo G.R.R Martin não dá

Lembrar ou Esquecer?

Depois de um tempo...

A CASA DE VIDRO.COM

Portal Cultural & Livraria Virtual. Plugando consciências no amplificador! Um projeto de Eduardo Carli de Moraes.

%d blogueiros gostam disto: