Skip to content

Celtic/Irish Punk e o estilo de Scruffy Wallace

novembro 24, 2012

Celtic punk ou irish punk, é um estilo musical que é reconhecido através de características peculiares, como o uso da gaita de fole e melodias populares escocesas/irlandesas/inglesas/celtas e toda ideologia punk, hooliganismo, skinhead e cerveja.

Scruffy Wallace, o responsável pela gaita de fole da banda Dropkick Murphys

Ainda acho o celtic/irish punk pouco explorado no Brasil, tanto sua musicalidade quanto seu estilo de vestuário. Entre as bandas que mais gosto está o Dropkick Murphys (principalmente), The Real McKenzies e Pogues. Um dos eventos que mais justificam meu interesse pela Escócia e a gaita de fole é o fato de eu ter estudado até a pré-adolescência em uma escola (Colégio estadual Dom Pedro II em Petrópolis) que tinha uma banda escocesa (Banda Marcial Wolney Aguiar) em que os próprios alunos participavam. Não cheguei a participar da banda, mas é claro que isso me influenciou a gostar das melodias escocesas. Logo, o visual dos integrantes também me chamou atenção visto que desde criança eu via os integrantes da banda Wolney Aguiar usando kilt, tartan vermelho. Para quem não sabe, a cor do tartan (xadrez) e o sobrenome da família definiam qual clã você pertencia na Escócia.

O Scruffy Wallace do Dropkick Murphys possui um visual punk com bastante influência do celtic/irish punk. Ele sempre usa kilt nas apresentações do Dropkick, variando a cor do tartan.  Além disso ele toca gaita de fole na banda.

Cadence to Arms, a versão do Dropkick Murphys para a tradicional Scotland the Brave (uma canção tradicional considerada por muitos o hino não-oficial da Escócia)

Adaptação de Amazing Grace, um dos hinos cristãos mais populares no Reino Unido e E.U.A.

Como seria o nosso próprio funeral para o Dropkick Murphys? Em Going out in Style, o funeral é uma festa animada em que estão reunidas todas as pessoas que passaram por sua vida. Esse clipe tem participação especial de várias pessoas importantes para o Dropkick, entre eles Fat Mike da banda punk rock NOFX. Note o clima hooligan e “família” (os membros do Dropkick Murphys são muito ligados à família e amigos, se você for no site oficial da banda, vai ver várias fotos deles quando criança, com os pais, com irmãos, esposa e filhos).  Essa música lembra canções populares cantadas em comemorações em pubs regados à muito álcool.

A paixão pelo boxe, um esporte que assim como toda ideologia esportiva remete ao gosto de ser campeão em Warriors Code

Essa é uma foto de quando Scruffy tinha 19 anos e tocava gaita de fole em banda marcial, no exército. Ele chegou a servir na Bósnia e no Afeganistão.

Ele atualmente na banda Dropkick Murphys

No celtic/irish punk o xadrez (tartan) é muito utilizado, assim como o kilt, o coturno ( comum, não o de cano alto), acessórios punk da vertente esportiva que fazem lembrar o hooliganismo: camisetas esportivas, jaquetas esportivas, tênis, jeans…Mas também são usados acessórios que remetem ao vintage de décadas passadas como os anos 50, como coletes, boina e chapéus. Sim, as mulheres que quiserem se aventurar pelo celtic/irish punk podem adotar uma mistura de visual pin-up com o celtic/irish punk usado pelos homens (depois farei um post para as mulheres).

A boina usada por Scruffy é uma referência aos anos 50. A camiseta esportiva do time de basquete de Boston (terra natal de Scruffy),  dá um toque hooligan.

As jaquetas esportivas de Scruffy, uma faz referência ao boxe, um esporte que é adorado pelos Dropkick Murphys (veja Warriors Code).  Ele usa outros tipos de jaquetas e camisas, de times de  baseball (Red Sox), basquete e outros.

O verde também é elemento importante no irish/celtic punk, assim como o trevo. Mas isso tem uma explicação: o povo celta era politeísta, a Igreja Católica usou para efeitos de cristianização dos celtas uma relação de seus deuses pagãos e os santos da Igreja Católica, tal como foi feito no Brasil com os africanos. O grande responsável pela conversão dos celtas foi Saint Patrick, um rapaz britânico nascido no ano 460 da era cristã, foi sequestrado por irlandeses que saquearam sua família, foi mantido prisioneiro por seis anos. Durante o tempo preso, Patrick aproximou-se da fé cristã, fugiu para Inglaterra, o local onde nasceu e frequentou o seminário por quinze anos.  No tempo em que passou no seminário, ele ouviu a voz de Deus dizendo para que voltasse à Irlanda e convertesse todos os pagãos ao cristianismo. Patrick fez isso com sucesso, pois fundiu símbolos pagãos como por exemplo,  o símbolo do deus sol e a cruz cristã. Não se sabe ao certo a origem da cruz celta (muitos teóricos dizem que ela já era utilizada por povos pagãos), mas foi difundida com propósitos cristãos por Patrick.

Cruz Celta

Outro símbolo usado foi o trevo de três folhas que já era muito forte entre os pagãos, dessa vez representando cada folha como uma parte da Santíssima Trindade que forma um todo: Deus Pai, Deus Filho e Espírito Santo.

Mas não é preciso ser católico para comemorar o dia de Saint Patrick, o dia 17 de março, que é a data de falecimento de Patrick, é um feriado nacional comemorado na irlanda, nos E.U.A. e em diversas partes do mundo. O feriado é comemorado com muita cerveja tingida de verde, pratos típicos e os símbolos (trevos, a cor verde e duendes, que foram tomados da mitologia pagã celta e lendas locais).  Os duendes são seres mágicos que protegem a floresta. Segundo a lenda no final do arco-íris há um pote de ouro. O duende é o guardião do pote de ouro, ninguém chega ao ouro se não passar pelo duende. Eu costumo relacionar essa estória com a Alquimia, mas isso é um assunto tão extenso que vou deixar para um post mais adiante.

Scruffy com a camiseta com símbolos fortes do celtic/irish, verde e trevos de três folhas.

Scruffy ao lado da cruz celta

No dia-a-dia Scruffy deixa um pouco de lado o kilt, usa elementos militares (lembre que ele serviu durante um tempo no exército). Além disso elementos militares são punks, na linha hardcore.

Jeans índigo, aquele azul com cara de vintage que é adorado por punks, rockabillies e skinheads.

Outro elemento que evidencia o interesse de Scruffy por História, Arte e Cristianismo são as tatuagens de seus braços, uma inspiração em vitrais de Igrejas Cristãs do Período Medieval e suas iconologias, acho essas tattoos que fecham seus braços uma das coisas mais criativas que já vi em termos de tattoo.

Algumas fotos foram retiradas de dois locais que recomendo muito:  Metal Paths e o tumblr Fuck Yeah, Scruffy Wallace

2 Comentários leave one →
  1. março 3, 2013 12:38 am

    Helena, obrigada por me apresentar o Celtic Punk e o Scruffy. Eu não conhecia!! Muito bom!! =)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Espaços Narrativos

memórias absorvidas por espaços, propagadas por pessoas

jimgoforthhorrorauthor

Horror author. Extreme metal fanatic. Husband. Father.

Não Sou Exposição

Questionamentos sobre imagem corporal, amor próprio, saúde e comida.

vamosparalondres

um autoguia para a minha viagem à capital britânica

A Virgem Boêmia

Entre palavras e cervejas

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

REQUADRO

Just another WordPress.com site

Supernova de Estilos

Um espaço para arte, moda, música, textos e tudo o que for interessante e novo (ou vintage)!

blog da Revista Espaço Acadêmico

Revista Espaço Acadêmico, ISSN 1519-6186 – ANO XVI - Mensal. Conselho Editorial: Ana Patrícia Pires Nalesso, Angelo Priori, Antonio Mendes da Silva Filho, Antonio Ozaí da Silva, Eva Paulino Bueno, Henrique Rattner (in memoriam), João dos Santos Filho, Luiz Alberto Vianna Moniz Bandeira, Raymundo de Lima, Renato Nunes Bittencourt, Ricardo Albuquerque, Rosângela Rosa Praxedes e Walter Praxedes. Editor: Antonio Ozaí da Silva

palavrasecoisas.wordpress.com/

Comunicação, Subculturas. Redes Sociais. Música Digital. Sci-fi

Felinne Criações

Bastidores dos trabalhos, projetos, e vida Felinne ;)

Drunkwookieblog

Porque esperar pelo G.R.R Martin não dá

Lembrar ou Esquecer?

Depois de um tempo...

A CASA DE VIDRO.COM

Portal Cultural & Livraria Virtual. Plugando consciências no amplificador! Um projeto de Eduardo Carli de Moraes.

%d blogueiros gostam disto: